Blog do Yogue

Busca

Sobre o blog

A idéia deste meu blog é trazer o mundo do yoga e da meditação mais perto do seu cotidiano.

Adoro responder e investigar sobre este assunto, pois é uma forma preciosa de conhecer mais este universo.

Este nome “blog do yogue” é porque vamos aproveitar a sabedoria de muitos e muitos yogues do passado e do presente para rechear e iluminar o nosso dia a dia. Yogue para quem não sabe é um sábio. E mais propriamente é aquele que chegou lá! Chegar lá no yoga é uma das muitas coisas a se saber...

31/03/2009

Movimentos internos da purificação à cura

 
 

Kriya - purificação

Quando você está sentado para meditar e seu corpo faz movimentos involuntários isto é chamado kriya. Não devemos confundir o termo, com a linha de yoga tão conhecida no ocidente através do guia espiritual Swami Paramahamsa Yogananda pois a palavra tem outro significado no yogasana.
Kryia, palavra da língua sânscrita, vem da raiz “kr” que traduz-se por ação ou fazer.
Na postura imóvel, são movimentos considerados como uma forma do corpo mental, físico e emocional purificarem.
Quando você executa a postura do yoga e na imobilidade da permanência, ainda ocorrem movimentos musculares, chamamos de kriya. Quando o movimento muscular para, aí chama-se asana.
Quando o movimento muscular para e se mantém parado, estamos nos limiares entre pratayahara, introversão dos sentidos, e dharana, concentração. Quando o segundo estado interior da consciência, dhárana, se prolonga, podemos chamar de dhyana, meditação.
Em meditação não há movimentos da mente. O asana então se manifesta no corpo físico na sua plenitude.


 

A cura
Na meditação o caminho para a saúde, o caminho para a organização interna do prana, da bio-energia, acontece. Neste estado de testemunho interior – meditação - a cura ou a compreensão “não-racional”, da doença pode ocorrer e este talvez seja um caminho para a cura.
Como diz o mestre Iyengar “O yoga pode ajudar a curar ou nos dar compreensão para tolerarmos com paz interior a doença”


 

DVIPADA VIPARITA DANDASANA - 

dvi-dois

pada -pés, base

viparita - invertido

asana - postura



 

Por Sandro Bosco às 18h04

30/03/2009

Sri Aurobindo

 
 

 

Os sábios dizem que compreensão é mais importante que a técnica.


 

Queridos praticantes de yoga e de  meditação, vai hoje um mergulho em profundidade ou se preferir um salto livre em espaço aberto com esta afirmativa acima. Vejo tantos e tantos alunos e professores querendo quantidade de informação e técnicas e o primeiro requisito para nos tornar-mos algo no Yoga não é a quantidade do que sabemos. Há tantas parábolas de tantas tradições que são utilizadas para este ensinamento todas tão belas e comoventes mas parece que a força do “ter” do nosso atual século XXI é mais potente.
Exagero meu,  pois estas parábolas são antigas e empoeiradas pelos séculos pois este sempre foi o dilema humano na busca interior.
Alguns vem em oficinas ou intensivos de yoga quase como em um shopping: “Quero sair deste curso com a mochila cheia de novidades.”


 

Século XXI
Ouvi uma vez dois praticantes de yoga conversando:
 - Você vai no workshop daquele professor?”
 - "Não", respondeu, "oque ele ensina é muito repetitivo”
Li uma vez em um quadro do artista plástico Wesley Duke Lee: “É na repetição que está a graça.” Adorei!
Em 74 ou 72 fiz uns cursos com o dançarino e professor de yoga alemão Rolf Gelewski em Salvador e depois em Sampa, onde ficávamos, por exemplo, pelo menos ½ hora para erguer um braço, em um único e contínuo movimento. E repetíamos os exercícios no dia seguinte! As experiências que ocorriam daí eram profundas, soberbas. Ele foi discípulo direto da “Mãe”,  uma francesa que continuou o trabalho na terra, do yogue indiano Sri Aurobindo. (ver foto)



 No yoga a profundidade da consciência pode estar sim na repetição e a técnica em segundo lugar. A compreensão (não intelectual): em primeiro!


 

site oficial do yoga integral (internacional): 

http://www.yoga-integral.org/

Por Sandro Bosco às 17h58

29/03/2009

Relaxe em silêncio

"Quando falares cuide para que suas palavras sejam melhores que o silêncio"

provérbio indiano

 

 


Ao sentar em silêncio feche os olhos e cuide para que seus ombros, seu rosto e seus olhos fiquem relaxados.

Relaxe-os repetidamente.

Deixe que passem tres respirações espontâneas e a cada tres respirações naturais, relaxe seus ombros, relaxe seu rosto, relaxe seus olhos.


Por Sandro Bosco às 20h26

26/03/2009

A Arte de ensinar e aprender

 
 

A Arte de ensinar e aprender

Ensinar a aprender

Ensinar é uma grande arte como diz o mestre indiano Iyengar.
Salve os professores!. Quando ensinamos algo que envolve aprofundar a consciência no corpo, como uma aula de yoga, então, é uma tarefa de arqueiro Zen.
Uma vez um aluno de yoga perguntou ao professor se ele não poderia ensinar de uma forma diferente. O professor respondeu: ensina-me então como ensinar a você?
Aprender yoga se você nunca praticou antes é muito bom. Quando o aluno vem com muita informação torna-se necessário o exercício de esvaziar o copo para poder caber algo de novo.


 

Parábola
O famigerado personagem do folclore da antiga Pérsia nosso sui-gêneris Mula Nasrudin tem uma história com mais uma das suas incomparáveis lógicas que chama-se ...
Aprenda como aprender
O Mulá enviou um jovem menino para pegar água no poço.
 - “Cuide para não quebrar o pote” gritou ele e deu a criança uma trouxa para carregá-lo na cabeça.
“Mula” perguntou um conhecido que passava por perto “porque você dá uma bronca em alguém que ainda não fez nada de errado?”
“Porque, seu tonto”, disse o Mula, “seria tarde demais punir alguém depois que ele já quebrou o pote não seria?”


 

 

 

Por Sandro Bosco às 22h04

25/03/2009

Bhoga Yoga - O yoga do prazer

 
 

Bhoga Yoga - O yoga do prazer

Hoje passei o dia fazendo aula com a Profa. Inga. Ela nasceu na Rússia e mora em Paris e esta ensinando Iyengar Yoga por quatro dias no Yoga Dham. Eu a conheci na França há quase dois anos atrás, no verão, num retiro intensivo de yoga em Blacon, uma pequena cidade do interior de dois mil habitantes. Praticamos e estudamos yogasanas para gestantes. Muito bom!
Ela citou uma frase dos Upanishads (escritura hindu de mais de 3000 anos).
- “O homem sábio busca fazer o que é certo. O homem comum só busca fazer aquilo que lhe traz prazer”.
No contexto da aula dela o ensinamento das escrituras se encaixa em buscar o alinhamento na postura que traz saúde para as articulações e para os órgãos que é o certo e nem sempre o mais prazeroso. Isto se faz ao invés de buscar a facilidade ou o modo mais fácil de fazer a postura que traz conforto mas nem sempre é o mais saudável.

 

O mestre indiano B.K.S.iyengar ensina que não se deve ajustar o yogasana - postura - ao corpo e sim ajustar o corpo ao yogasana.

Por Sandro Bosco às 22h51

24/03/2009

Alivie as dores nas costas!

 
 

Alivie as dores nas costas!


Este acessório (arco de madeira)  chamado de Arco Zen, produz uma retro-flexão na coluna vertebral suave e restauradora.

Alivia as dores nas costas que ocorrem de ficarmos muito tempo sentado. Modifica a respiração acalmando-a.

 

Por Sandro Bosco às 23h06

Há um extase por detrás dos pensamentos ... desfrute-o

 

Ainda os efeitos e ecos da entrevista de sábado ...

Quem quiser ouvi-la click:

http://cbn.globoradio.globo.com/programas/revista-cbn/2009/03/21/A-IOGA-E-BUSCA-PELA-UNIDADE-NA-BLOGOSFERA.htm

 


Olá Sandro, Não ouvi o programa da rádio, mas é muito instigante ler seus dizeres sobre o estar com o outro, sobre o praticar Yoga a todo momento, principalmente num encontro pessoal. Além de professor de Yoga sou psicólogo clínico, e sempre me pego pensando nas relações entre uma coisa e outra, onde essas duas experiências se tocam e onde se diferenciam. Você descreveu exatamente o estado que deve ser buscado pelo terapeuta: atenção,presença,abertura para o que está acontecendo, noção do próprio eixo, disponibilidade para o outro e para deixar a vida acontecer.Nada mais. As teorias só são empecilhos pesados e inadequados nesse momento de encontro. A sensação após uma sessão onde isso de fato aconteceu é de plenitude,de exatidão e de presença.Algo muito parecido com a prática de Yoga e meditação. Nunca tinha feito essa relação direta entre as duas práticas, e poder fazer essa integração me deixa muito feliz, pois posso aprimorar meu Yoga e meus atendimentos. Muito obrigado.
marcos f taschetto |  24/03/2009 14:27

 


Marcos , obrigado pelo seu comentário. Semana passada disse em sala de aula, enquanto ensinava os yogasanas – posturas –, que era importante naquele momento o aluno estar em contato com o seu próprio corpo, com integridade, com inteireza, afastando a “consciência testemunha” dos pensamentos, pois isto pode silenciar a mente e aí disse que "se você está em silencio (interior) isto é yoga!”


 

Como praticar

 


Estar em silêncio de palavras é um começo. O silêncio das palavras pode nos levar ao silêncio de pensamentos e aí podemos chegar lá, na dimensão interior do yoga.

Levar o seu trabalho, suas ações cotidianas ao âmbito ou à luz da “consciência testemunha”, vai limpando e clareando a mente, ela vai ficando transparente. E oque repousa por detrás dela, é prema – amor incondicional – é puro deleite.


Por Sandro Bosco às 22h59

23/03/2009

Estar em uma postura de cabeça para baixo não é yoga!

 

Olá freqüentadores deste web espaço blog do yogue.

A entrevista deste sábado no programa sobre blogs da Rádio CBN deu um ótimo retorno e chegaram emails e comentários com reflexões interessantes.

Me animei respondendo dois comentários e peço licença ao Luiz de publicá-lo. 

Ouça a entrevista:

http://cbn.globoradio.globo.com/programas/revista-cbn/2009/03/21/A-IOGA-E-BUSCA-PELA-UNIDADE-NA-BLOGOSFERA.htm

 

 


 

Comentário do Luiz após ouvir a entrevista

"Não peneire o grão em qualquer vento nem siga por qualquer direção.

Seja constante no modo de pensar e na maneira de falar.

Esteja pronto para ouvir e lento para dar a resposta.

Se for capaz responda a seu próximo se não for fique calado.

Falar pode trazer honra ou desonra e a lingua do homem é a sua ruina.

Não tenha fama de caluniador nem use a língua para preparar armadilhas, pq para o ladrão existe a vergonha e para o homem falso uma condenação severa, evite erros grandes e pequenos e do amogo não se torne inimigo".

Após sua entravista na "CBN" até o momento não sabia de nada sobre vc" lembrei-me desse trecho q venho lendo a algum tempo diariamente:Eclesiastico 5,9. q está me fazendo ouvir mais e falar menos, e realmente qdo ouvimos o q o outro fala, as vezes é tão insignificante q fico até sem saber o q falar, e antes de eu ler este capitulo da biblia eu realmente era muito preocupado em minhas conversas falava muito e não ouvia nada... um abraço...
luiz | 
http://www.comerciosdobairro.com.br |  21/03/2009 13:10


Resposta:

A verdade não está só no yoga

Luiz, não leio a Bíblia mas este trecho que você citou só mostra que a verdade está em várias fontes e tradições antigas. É preciso usar discernimento  - viveka - e atenção plena  - dharana - para entender. Alguns yogues ensinam o "yoga do falar e o "yoga do ouvir" e isto abre a possibilidade de praticar yoga a qualquer momento e não só quando se está na postura de cabeça para baixo ou sentado em silêncio de olhos fechados.

 

SARVANGASANA -  apoio sobre os ombros e que trabalha todas as partes do corpo

O estado gerado pelo yogasana - postura - é yoga mas não a postura em si.

A imagem da postura traz a mente simplesmente o reconhecimento de um símbolo, a prática dela e o devido entendimento é que pode nos levar a sensação do estado de unidade.


Mente plena = yoga

Estar presente no que se está fazendo é o princípio do yoga. Quando você houve com a mente plena  - dharana - você entende o outro em uma “outra dimensão” ou  ainda posso usar o termo: num  "contexto" bem mais profundo.

O que comentei com a jornalista da Rádio CBN (para aqueles que não ouviram o programa) é que o hábito trivial humano é ouvir um pouco das palavras da outra pessoa e deixá-la falando sozinha, enquanto você vai ouvir os seus próprios pensamentos e ansiosamente fica querendo falar antes que o outro termine, cortando-o para  contestar ou concordar ou comentar. Isto não é diálogo! Isto afasta você do espaço interior do yoga e da meditação.


 

Mergulhe  e entregue-se, esteja presente!

Ouvir o outro com totalidade é uma profunda prática de yoga e meditação. Você pode ouvir o que está além das palavras por que lhe dá oportunidade de ouvir com os ouvidos e com o coração. Você gera para você o desfrute do silencio interior e isto é yoga. É uma prática intensa. Cria união entre aquele que fala e o aquele que ouve e todo e cada momento que você entra neste espaço de unidade você pratica yoga, você toca o espaço interno do yoga. Isto significa acolher a outra pessoa com respeito. E acolher com respeito e com o coração a outra pessoa, como disse um sábio iluminado da Índia, "é a mais alta das religiões!".  É a maior das Yogas!


 

Obrigado Luiz pelo seu comentário.


Por Sandro Bosco às 18h02

Democratizando yoga e meditação

Olá freqüentadores deste web espaço blog do yogue.

A entrevista deste sábado no programa sobre blogs da Rádio CBN deu um ótimo retorno e chegaram emails e comentários com reflexões interessantes.

Me animei respondendo dois comentários e peço licença ao Igor de publicá-lo. 

 

Ouça a entrevista:

 

 

http://cbn.globoradio.globo.com/programas/revista-cbn/2009/03/21/A-IOGA-E-BUSCA-PELA-UNIDADE-NA-BLOGOSFERA.htm

 

 

 

 


 

COMENTÁRIO

Oi. Acompanhei sua entrevista na rádio CBN. Escutei pelo celular daqui de Belém do Pará. Gostei do que ouvi. Obrigado.
Igor Raphael Fonseca  |  21/03/2009 12:38

Resposta:



Igor, que bom que você gostou do que ouviu porque eu também gostei do que eu ouvi do que eu estava falando. Testemunhar a própria fala é um exercício e um estado de yoga. É ficar atento e falar no fluxo em algum espaço entre a mente e o coração. Não podemos continuar divulgando a meditação e o yoga como algo restrito a um estúdio de yoga a uma postura de equilíbrio ou a fechar os olhos com fisionomia ZEN. É hora de democratizarmos a meditação e yoga.

Para meditar é só nos entregarmos ao momento presente, por exemplo, como falei na rádio CBN: ouvir com atenção, falar com atenção, caminhar com atenção, isto além de nos trazer para o sagrado espaço interior do "aqui e agora" eleva o respeito a outra pessoa que é a base de qualquer ramo do yoga. A pergunta da jornalista Tânea trouxe bons frutos ! Luiz, muita paz, Sandro

 

Por Sandro Bosco às 17h41

20/03/2009

O espelho

 
 

O espelho

“Você que quer o conhecimento, busque a unidade dentro.
Lá você encontrará o espelho claro esperando-o.”

HADEWIJCH II


Conhecer oque?
Muitos entendem o conhecimento da citação acima como o conhecimento das ciências, tecnologias ou literatura. O conhecimento a que ele se refere é o conhecimento de si mesmo. Aquele que não se obtém nos livros e nas universidades. É o puro conhecimento que advém de práticas de interiorização como a meditação. 



Uma experiência
Uma vez eu estava sentado no meu lugar de sempre para praticar a meditação com os olhos fechados e depois de 1/2 hora aproximadamente, tudo já tinha se silenciado internamente, quando me espantei ao me deparar com o meu rosto a poucos centímetros do meu  próprio rosto olhando para o meu rosto, olhando para mim mesmo.
Ao ler sobre o “espelho claro esperando” me lembrei desta experiência de anos atrás.



 

Quem sou eu? O que vê ou o que é visto?

O ser interior, a consciencia, é quem vê atraves dos olhos!

Por Sandro Bosco às 13h57

Entrevista Rádio CBN

 

 Amigos, amanhã às 13h30, sábado, na rádio CBN (90,5 FM e 780 AM) serei entrevistado para contar um pouco mais como foram estes 10 meses de Blog do Yogue e lógico falar um pouco mais sobre yoga e meditação!!!! Espero vocês!!!!

 

http://cbn.globoradio.globo.com/home/HOME.htm

 

 

Por Sandro Bosco às 06h43

19/03/2009

HOJE tem meditação!

 
 

HOJE tem meditação!

 

 

 

DHYANA SANGHAM - Encontro de meditação,

hoje às 20:30h, informe-se no www.yogadham.com.br

 


Um Yogue perguntou ao outro: - “Quem é Deus?”

O segundo respondeu: “É  o testemunho da mente”.


Se pudermos neste instante  irmos mais fundo, indo além dos ruídos internos da mente e sua interminável sucessão de pensamentos, poderemos conhecer a verdadeira natureza da mente, isto nos levará a conhecer a verdadeira natureza do mundo e nossa própria natureza também.


Conta-se que o rei Janaka da Índia perguntou ao sábio Yajnavalkya sobre Deus e a natureza da mente.

Yajnavalkya disse:

“Deus é o Ser que reside atrás da mente e a faz mover,  que a mente não pode conhecer e cujo corpo é a mente. Ele é o único habitante interior. É imortal. É feito da mais pura felicidade”.


 

Por Sandro Bosco às 09h46

Yogasana - reduzindo os efeitos negativos do estresse

 
 

Yogasana - reduzindo os efeitos negativos do estresse

Sirshasana - o pouso sobre a cabeça

Os asanas invertidos, como o pouso sobre os ombros e o pouso sobre a cabeça, são benéficos  para o sistema imunológico. Produzem uma maior irrigação sanguinea no cérebro atingindo a glândula hipófise e o hipotálamo, reduzindo os efeitos negativos do estresse e acentuando a resposta do relaxamento.

Por Sandro Bosco às 09h41

18/03/2009

Mergulhar no desconforto com a mente sem julgamento

 
 

Mergulhar no desconforto com a mente sem julgamento


Conhecer o desconforto

Quando um praticante de yoga é orientado pelo professor a permanecer no yogasana – postura de yoga – ele está convidando indiretamente para que ele entre em contato com uma zona de desconforto. O aluno pode dizer “ah, está alongando demais preciso desfazer a postura”. Estamos habituados a viver numa zona de conforto, é uma zona onde cada um se sente seguro em si mesmo. Um terapeuta, acho que inglês, disse uma vez que cada um de nós tem muitas vezes mais flexibilidade no corpo do que conhece.


 

Minha experiência

Percebo praticando yoga que isto é verdade. Acontece que quando julgo a sensação do corpo na  intensidade da postura e a considero desconfortável a minha mente estabelece limite não o corpo.Vejo alunos com grande entusiasmo na prática do yoga e como as posturas tocam internamente e profundamente todas as partes do corpo o praticante precisa desenvolver coragem e desapego para adentrar dia a dia no seu corpo. Da camadas externas, superficiais as camadas mais profundas. Quando você pode estar numa área do corpo, sendo tocada profundamente pelo yogasana e que possa gerar desconforto e você permanece sem julgamentos, isto é o principio da meditação, continue!



Mulá Nasrudin

Conta uma história que Mula Nasrudin estava tentando se enforcar. Um amigo dele estava a observar tudo que acontecia. Ele disse: - Olha Nasrudin se você quer se enforcar, você tem de passar a corda no pescoço, não sob os braços!
 - Bem ... diz Nasrudin – eu tentei, mas me senti sufocado. 

 

Por Sandro Bosco às 22h18

17/03/2009

A arte de praticar yoga em dupla

 
 

A arte de praticar yoga em dupla

YOGASANAS em dupla  - podem ser muito benéficos pois para aquele que faz, ganha uma intensidade maior com ajuda de outra pessoa. Aquele que ajuda ganha a chance de ver o asana e  aprender sobre a postura, os movimentos do corpo, e as ações internas que o levam a um alinhamento melhor. 

Por Sandro Bosco às 22h48

Blá, Blá, Blá

 
 

Blá, Blá, Blá

Hoje em dia
Muitos pontos importantes da aula de yoga não são ditos pelo seu professor(a). É normal que o professor(a) esteja atento ou na execução dos yogasanas  - posturas - ou na filosofia, contudo hoje há uma quantidade maior de pessoas tornando-se professor(a) de yoga sem o devido preparo, em cursos que duram “um fim de semana”. Isto acaba transformando a aula de yoga em um mero programa de alongamento.


Blá, blá, blá
Outros por não saberem muito bem o que fazer com o corpo do aluno nas posturas e como resolver as dúvidas, dificuldades ou dores que advém disto, tornam a aula um show de informações místicas,  falando de chakras – centros de energia – sem terem experimentado-os em si mesmo. Treino pessoas para se tornarem professores de yoga e minha principal recomendação é: “fale daquilo que você viveu, fale daquilo que você pode ver com seus dois olhos ou já viu”.  É muito fácil envolver pessoas com misticismo esoterismo ou parafrasear palavras sábias, mas estes recursos do professor nem sempre vinga no aluno como algo que possa construir um autêntico interesse dele pelo yoga ao menos que tenha vindo da sua própria experiência como professor, estudante e praticante de yoga: três em um.



Antigamente ...
Na tradição yogue um aluno ou discípulo permanecia 12 anos com o mestre para receber uma iniciação. Antes disto eram só testes para checar seu real interesse pelo yoga. “Tudo bem” alguém vai dizer, “os tempos mudaram”. E quanto tempo o mestre o autorizava a começar a ensinar ou ser um representante dos seus ensinamentos?


Conta uma historia que ...
na escola de artes marciais um jovem candidato a lutador, apressado e ambicioso atravessou o Japão
 em busca de um afamado instrutor de artes marciais. O mestre o recebeu e ouviu:
 - Desejo estudar caratê, e me tornar o maior lutador do país. Em quanto tempo posso preparar-me?
 - Nunca menos de dez anos – respondeu o mestre.
 - Quanto tempo! E se eu praticasse em dobro?
 - Vinte anos!
 - Sim?!!  E se dedicar-me noite e dia ao caratê?
 - Neste caso, trinta anos.
O rapaz estranhou:
 - Mas não entendo quanto mais vos proponho dedicação, mais tempo dizeis que vou precisar?
E o mestre:
 - Oh, sim. Quando um olho está fixo onde se quer chegar, só resta um para encontrar o caminho.

Por Sandro Bosco às 22h11

Blá, Blá, Blá

 
 

Blá, Blá, Blá

Hoje em dia
Muitos pontos importantes da aula de yoga não são ditos pelo seu professor(a). É normal que o professor(a) esteja atento ou na execução dos yogasanas  - posturas - ou na filosofia, contudo hoje há uma quantidade maior de pessoas tornando-se professor(a) de yoga sem o devido preparo, em cursos que duram “um fim de semana”. Isto acaba transformando a aula de yoga em um mero programa de alongamento.


Blá, blá, blá
Outros por não saberem muito bem o que fazer com o corpo do aluno nas posturas e como resolver as dúvidas, dificuldades ou dores que advém disto, tornam a aula um show de informações místicas,  falando de chakras – centros de energia – sem terem experimentado-os em si mesmo. Treino pessoas para se tornarem professores de yoga e minha principal recomendação é: “fale daquilo que você viveu, fale daquilo que você pode ver com seus dois olhos ou já viu”.  É muito fácil envolver pessoas com misticismo esoterismo ou parafrasear palavras sábias, mas estes recursos do professor nem sempre vinga no aluno como algo que possa construir um autêntico interesse dele pelo yoga ao menos que tenha vindo da sua própria experiência como professor, estudante e praticante de yoga: três em um.



Antigamente ...
Na tradição yogue um aluno ou discípulo permanecia 12 anos com o mestre para receber uma iniciação. Antes disto eram só testes para checar seu real interesse pelo yoga. “Tudo bem” alguém vai dizer, “os tempos mudaram”. E quanto tempo o mestre o autorizava a começar a ensinar ou ser um representante dos seus ensinamentos?


Conta uma historia que ...
na escola de artes marciais um jovem candidato a lutador, apressado e ambicioso atravessou o Japão
 em busca de um afamado instrutor de artes marciais. O mestre o recebeu e ouviu:
 - Desejo estudar caratê, e me tornar o maior lutador do país. Em quanto tempo posso preparar-me?
 - Nunca menos de dez anos – respondeu o mestre.
 - Quanto tempo! E se eu praticasse em dobro?
 - Vinte anos!
 - Sim?!!  E se dedicar-me noite e dia ao caratê?
 - Neste caso, trinta anos.
O rapaz estranhou:
 - Mas não entendo quanto mais vos proponho dedicação, mais tempo dizeis que vou precisar?
E o mestre:
 - Oh, sim. Quando um olho está fixo onde se quer chegar, só resta um para encontrar o caminho.

Por Sandro Bosco às 22h11

16/03/2009

Dor ou prazer?

Publicado em 11/03/2009 18:18
Quando foi a última vez que você parou de praticar yoga?  


Comentário de Luís Indriunas 12/03/2009 16:18 -  Caro Sandro, em primeiro lugar, parabéns pelo blog, como praticante iniciante de yoga acompanho seu blog com interesse e ele muito me ajuda. Quanto à questão da desistência ou do medo do bem estar, acho que, sim, a mídia (e eu sou jornalista) nos bombardeia com más notícias e sensacionalismo, mas, do outro lado, acho que há um medo interno do ser humano quanto a ser feliz (sem os exageros das paixões ao estilo das telenovelas). Alguns psicólogos e outros especialistas têm se debruçado sobre o assunto que ainda está para ser explicado melhor. A medicina, por exemplo, só estudava a dor, não o prazer, nem o bem-estar. De qualquer modo, vejo que os homens gostam da mudança apenas pela mudança nada mais. E identifico isso como parte da frivolidade dos dias atuais. Abs, Luís


 

Luis, muito interessante seu comentário pois contextualiza o pensamento e conhecimento contemporâneo da questão. O sábio Patanjali ensina, na primeira das quatro partes do seu Yoga Sutra (260 ac.) que das cinco causas básicas da aflição ou sofrimento humano, os cinco kleshas temos: ragat, o desejo ou apego, e dvesha, aversão. Os dois nos separam do atmam, da essência e portanto nos afastam da meta mais elevada do Yoga. Ao refletir sobre este sutra, o que me parece, é que em ambos tanto o prazer quanto a dor tornam-se causas de sofrimento pelo apego a estas duas condições da mente, porque são movimentos da mente condiconada. Se não nutrimos expectativas, não esperamos nem prazer nem dor e por este distanciamento que a prática de vairagya, a renuncia e desapego,  traz, obtemos paz interior, paz inabalável. Obrigado pelo seu comentário. Sandro

Por Sandro Bosco às 13h21

13/03/2009

Alivie as dores nas costas

 
 

Alivie as dores nas costas

 

Marichyasana III - nome dado em homenagem ao sábio Marichy

Benefícios: Esta postura aumenta a energia, tonifica e massageia os órgãos abdominais, melhora o funcionamento do fígado, baço, pâncreas, rins e dos intestinos.  Diminui a gordura ao redor da cintura, além de aliviar a dor nas costas.

 

Cuidados: Não pratique se estiver com diarréia, desinteria ou se estiver com gripe.  Evite-o também se tiver insônia, enxaqueca, ou muita fadiga.  Também não é indicado para o período menstrual.

 

Fonte: Posturas Principais – B.K.S. Iyengar – Editora Cores e Letras.

 

 

Por Sandro Bosco às 23h54

Yoga - do conhecido ao desconhecido

 
 

Yoga - do conhecido ao desconhecido

Quando foi a última vez que você parou de praticar yoga?  11/03/2009 18:18 - post de antes de ontem

Abaixo comentário do Marcos Taschetto
Olá Sandro, tenho refeito alguns conceitos que tinha sobre o Yoga e sobre minha prática. Ao ler seu comentário pensei que pior que os alunos não suportarem o progresso é o professor não acreditar que isso possa acontecer de fato. Em boa parte dos 5 anos que dou aula era assim que pensava, sem ter muita consciência disso. Só quanto alguns alunos começaram a relatar grandes mudanças que ocorreram após iniciar a prática é que caiu minha ficha: "estou num F1 e me comporto como se estivesse num fusca". Falava do poder do Yoga, mas na verdade, era da boca pra fora. Isso quase me envergonha, mas que bom que aconteceu. Belo professor esse que não experimenta o que ensina. Seu blog é ótimo, inclusive por proporcionar esse tipo de troca. Abraços
marcos f. taschetto |  11/03/2009 18:54


Resposta do Blog do Yogue
Marcos, muito bom seu comentário, obrigado.  Primeiro é muito bom refletirmos sempre o que é progresso no yoga? Refletir sempre é bom porque o resultado desta reflexão deve mudar constantemente. Se não muda é um sinal que a nossa capacidade auto observação e discernimento precisa crescer e este crescimento cresce com o atma-vichara, prática do Jnana Yoga que  significa a auto investigação interior que nos leva ao Atman,  à essência, ao Ser Interior. Se a palavra yoga siginifica criar unidade, união, vale a pena indagarmos:
1 -  oque é esta união?
2 - aonde ela está?
3 - como ela acontece?
4 - porque ela acontece?
5 - e se ela não acontecer o yoga  não serve para mim ?
6 – o que devo esperar do yoga, desta união?
7 – este estado de unidade é uma condição física?
8 - esta união é um estado de espírito?
9- é um estado fisiológico?
10-  é um comportamento com os outros seres vivos?
11 - é um sentimento interior?
12-é uma visão diferente de mim mesmo? diferente da que eu tinha antes de começar a praticar intensamente?


Luz dos Yogues
Os sábios yogues dizem que a prática do yoga nos leva do conhecido ao desconhecido. Lembre-se: desconhecido no corpo, na mente, na alma, na vida, na natureza humana, na noção da origem do universo, do universo interior e do universo externo (e do que mais?).
Sendo assim oque devo espera do yoga? Pela lógica então eu não deveria esperar nada uma vez que o desconhecido eu desconheço, então será sempre uma surpresa, diferente do que eu poderia imaginar.
Para nos seqüestrar deste caos de dúvidas, temos a luz das escrituras yogues escritas pelos sábios da antiguidade e temos a palavras dos santos e sábios yogues do passado e do presente.
Oque eles nos dizem a este respeito?

Por Sandro Bosco às 23h48

12/03/2009

Postura de yoga em homenagem à um sábio

 
 

Postura de yoga em homenagem à um sábio

 

 

foto R.Setton

MARYCHYASANA III - nome dado em homenagem ao sábio Marichy

As posturas de torção são benéficas depois de longas permanências em yogasanas de flexão ou extensão da coluna vertebral.

Por Sandro Bosco às 08h25

A dor do mal e a dor do bem

 
 

A dor do mal e a dor do bem

Yoga torna seu corpo mais adaptável
Vivemos em um mundo onde tudo evolui para criar mais conforto e facilidades para o corpo humano. Isto tem vantagens e desvantagens. Nosso corpo não se climatiza mais, o ambiente é que se climatiza para o nosso corpo, os alimentos não são mais os da estação vem de todos os lugares do mundo para a sua mesa. Assim o corpo vai diminuindo seu poder de adaptação e dos ciclos orgânicos da natureza em alguns quesitos importantes. Por outro lado a prática do yoga fortalece o seu sistema biológico, fisiológico, tornando-o mais rapidamente adaptável as mudanças e ameaças do meio externo como: vírus, bactérias, mudanças climáticas, para não continuar listando outras.



O método Iyengar
O praticante de yoga quando escolhe o método Iyengar como um caminho, tem de aprender algo novo: lidar com o desconforto na postura!
Neste método trabalhamos a permanência no yogasana – postura -  e isto gera fortes alongamentos musculares extremamente benéficos mas que se o iniciante interpreta como dor ele vai pelo caminho errado. Costumo dizer que existe a dor 'má', ou aquela que pode estar sendo gerada em algum problema articular, por exemplo, e que aí funciona como um mestre avisando que algo está errado naquela postura. E temos a dor ‘do bem’ que está vindo de um alongamento intenso e que ao suportá-la nos tornamos mais fortes, mentalmente e emocionalmente. É um método de yoga que aumenta o poder da vontade e alimenta a força de vontade.


 

 

Por Sandro Bosco às 08h12

11/03/2009

Quando foi a última vez que você parou de praticar yoga?

 
 

Quando foi a última vez que você parou de praticar yoga?

Muitos alunos se afastam das  aulas de yoga exatamente quando começam a progredir ou deslanchar mais na prática. Oque me parece é que para estes é difícil suportar a "boa nova", o progresso. Não assisto televisão e quando procuro ouvir o rádio, quando estou dirigindo o carro no trânsito, logo desisto pois escuto a inundação que vem e sustenta o noticiário de más notícias de toda a sorte. Será que estes alunos que abandonam as aulas de yoga exatamente quando vejo que ele esta´melhorando é porque não estão habituados pela boa notícia num mundo bombardeado pelas más notícias da mídia.
Ou será que é a dificuldade de viver o prazer e apego de viver a dor e a má notícia. Será que eles esperavam de mim: "é você não tem jeito mesmo não progride na prática do yoga". Estamos grudados nos hábitos e estes hábitos envelheceram. Quando você começa a praticar yoga prepare-se pois as coisas vão mudar em você, dentro de você e fora de você, ou, mude de professor(a)!

Por Sandro Bosco às 18h18

10/03/2009

Alívio para a escoliose

 

 

COMENTÁRIO DO POST DE  03/03/2009 21:44

Caro Prof. pessoas com escoliose podem praticar posturas com curvatura das costas para trás como esta ou mesmo a urdva mukha svanasana ? obrigada desde já , namaste Flávia
Flavia | 10/03/2009 08:11

Foto tirada na sala Nataraja no Yoga Dham em São Paulo

 

URDVA DHANURASANA - POSTURA DO ARCO SUSPENSA

RESPOSTA AO COMENTÁRIO ACIMA -

Flavia, tanto a postura publicada no dia 03 de março aqui no blog bem como esta da foto  acima - cujo grau de dificuldade é maior- ambas são de extensão da coluna ou retro-flexão como eram chamadas antigamente. Estas flexões para trás da coluna são, sim, benéficas para escoliose. Contudo é importante saber o grau da escoliose e qual o grau de rotação que também pode estar provocando na coluna. O alinhamento deve ser conduzido propriamente e a postura deve ser feita com aprovação do seu médico. Outras devem ser acrescentadas na sequencia para suavizar depois a tensão na coluna lombar.

 

 

 

 

 

 

Por Sandro Bosco às 23h38

A experiência yogue de Einstein

 
 

A experiência yogue de Einstein

"Seres humanos são parte do todo chamado por nós de “Universo”, uma parte limitada em tempo e espaço. Nós temos a experiência de nós mesmos, nossos pensamentos e sentimentos, como alguma coisa separada do resto – um tipo de ilusão de ótica da consciência. Esta ilusão é um tipo de prisão para nós, nos restringe aos nossos desejos pessoais e pela afeição pelas poucas pessoas mais próximas de nós. Nossa tarefa precisa ser livrar a nós mesmos da prisão através da expansão dos nossos círculos de compaixão para abraçar todas as criaturas e toda a natureza na sua beleza." ____  Albert Einstein _______
Incrível temos aí a descrição de quem teve a experiência da unidade. Einstein era um físico mas suas palavras poderiam ter sido escritas por qualquer Swami da vida, uma definição yogue da realidade que está além do véu das aparências, uma visão que está por trás do véu da ilusão- maya.
,

Por Sandro Bosco às 23h21

09/03/2009

Mestre indiano em São Paulo

Hoje começou o intensivo com o mestre indiano Arun (foto acima) 

Ficamos em longas permanências nas posturas oque aprofundou a compreensão da inteligencia corporal nos yogasanas - postura - .

O asana da foto - parivrta janusirshasana - foi um dos que praticamos com o apoio de uma cadeira e foi inusitado. A ultima vez que Arun esteve aqui no Yoga Dham foi em julho de 2008.

Arun mais uma vez me tocou pela simplicidade, suavidade e precisão com que ensina Iyengar Yoga, tão diferente da maioria dos professores de Iyengar Yoga que eu conheci até hoje.

Informações sobre o programa de Arun no Brasil a té dia 15 - domingo -  você encontra no www.yogadham.com.br - .

Por Sandro Bosco às 18h19

06/03/2009

Postura do cadáver: nem acordado nem dormindo

 
 

A última postura da aula de yoga

Quando você termina uma prática ou aula de yoga, você deve estar relaxado mas animado fisicamente, e com a mente leve. Se você permanece um tempo maior do que o necessario na postura de relaxamento, é possivel você sentir um torpor indesejável para o momento final de uma prática de yoga. Agora, a sensação de estar se sentindo flutuando no final do relaxamento deve-se ao estado de nidra. Nidra é as vezes traduzido como sono consciente.O shavasana, postura do cadáver, praticada costumeiramente no final de uma aula pode leva-lo à este estado. No entando se entendo Nidra como simplemente sono, aí posso considerá-lo um dos inimigos da prática ou da disciplina yogue.


 

Yoga Sutra

O sábio  Patanjali (260 a.C.) no seu Yoga Sutra, chama nidra de: estado mental baseado na não ocorrencia de outros fenômenos mentais. Observe que ao praticar shavasana (foto abaixo) e seu batimento cardíaco desacelera, o tempo da respiração se torna mais espassado, é criado um estado de hipometabolismo restaurador. Neste momento muitos praticantes, mesmo iniciantes, tem a  experiência, em geral gratificante, de se sentirem entre o estado de vigília e o estado de sono, nem despertos nem dormindo. No primeiro, o estado de vigília, é onde o cérebro pensante pode executar todas as atividades mentais, como: pensar, raciocinar, fazer cálculos, criar um concerto musical, criar um novo software, escrever um planejamento, uma teoria da física, etc., o segundo é o estado do cérebro 'pensante ausente' ou o estado do sono.


 

Requer delicadeza na observação

 Manter-e neste estado, entre o sono e a vigília é uma experiência natural, espontãnea. Ela é genuína e interessante, é onde você percebe que qualquer desdobramenteo de um pequeno desejo ou mesmo de desejar se apoderar desta experiência ou ainda prolongar um pouco mais este estado interior, você o perde. É um exercício de pura observação sem desejo. É um "estar" dentro de si sem expectativa.

 Você já teve esta experiencia durante o relaxamento da sua prática de yoga?

SHAVASANA  - postura do cadáver (sem movimentos)

Por Sandro Bosco às 18h20

05/03/2009

Medite

"Pegue um jarro cheio de água e coloque-o dentro da água - agora tem água dentro e fora. Nós não devemos dar um nome a isto,

 com receio, pessoas tolas, começam a falar de novo sobre a alma e o corpo. "

                                                           Kabir                  


 

Hoje temos Dhyana Sangham - encontro para meditação  - as 20:30h no Yoga Dham - informe-se www.yogadham.com.br -

Por Sandro Bosco às 14h47

04/03/2009

Yoga - equilíbrio ou harmonia?

 
 

Yoga - equilíbrio ou harmonia?

O yoga na mídia

No yoga divulgado pela mídia ainda fala-se muito em harmonia e equilíbrio e tornaram-se assim palavras tão gastas que não sei se ainda significam algo. Significam para você?

Hoje dei uma entrevista sobre estresse e não usei estas ambíguas palavras: harmonia e equilíbrio.


 

Andar de bicicleta

De fato equilíbrio através do yoga é como andar de bibicleta inclina-se para à direita e para à esquerda e mantem-se rodando para a frente. 

Muitos companheiros de prática de yoga e meditação que conheci e que pareciam estar, pelo tempo e intensidade da prática, num mergulho profundo em si mesmo não passavam, via de regra, estar em harmonia e equilíbrio.

Meu querido visitante do Blog do Yogue no primeiro momento yoga e meditação sim equilibram, até a cética metodologia científica já atestou, mas para chegar nesta calmaria que se aspira só navegando com calma e desapego nos mares tempestuosos e agitados da vida. Isto requer auto-entrega e renúncia a cada instante. 


Depoimento de um grande sábio 

 Nos anos 70, um buscador perguntou há um verdadeiro yogue ou guru,  como que funcionou o seu processo de subjugar o ego, foi gradativo, como uma criancinha com sono que vai adormecendo devagar no colo da sua mãe?

-Não. Respondeu este yogue, -  Até os dias que antecederam a minha iluminação - moksha - ( a liberdade da mente e de todos os condicionamenteos humanos, a mais elevada meta yogue) o ego trabalhou intensamente e incansavelmente para tornar separado tudo que pudesser se tornar ou parecer unidade. 


 

Harmonia e equilíbrio

Respiração é como uma balança de dois pratos, o externo entra e o interno sai, contração e expansão, como o universo infinito, construção e destruição, mas se você no silencio da sua prática observar que há uma pausa espontânea e vital entre o inspirar e o expirar,  lá você pode experimentar algo parecido com harmonia e equilíbrio.


Por Sandro Bosco às 18h19

03/03/2009

Fortalece as costas e alivia cólicas abdominais

 

USTRASANA  A curvatura das costas para trás faz  parecer um camelo.  Ustra em sânscrito significa camelo. Vem daí o nome dessa postura.

 

Benefícios: Corrige a postura, beneficia as pessoas de ombros caídos, aumenta a capacidade pulmonar, tonifica a coluna vertebral, deixando-a flexivel; alivia cólicas abdominais.

 

Cuidados: Não pratique essa postura se estiver com dirarréia, constipação intensa, dor de cabeça e enxaqueca.

 

Referência: Posturas Principais – Iyengar Yoga – Editora Cores e Letras

Por Sandro Bosco às 21h44

Do Ganesh ao mantra que traz a consciencia ilimitada

 
 

 

  

Do Ganesh ao mantra que traz a consciencia ilimitada

“Ganesh é barrigudo de tantos caramelos, e tem orelhas e trombas de elefante. Mas escreve com mãos de gente.
Ele é mestre de iniciações, aquele que ajuda as pessoas a começarem suas obras. Sem ele, nada na Índia teria começo. Na arte da escrita, e em todo o resto, o começo é o mais importante. Qualquer princípio é um grandioso momento de vida. Ensina Ganesh, e as primeiras palavras de uma carta e de um livro são tão fundadoras como os primeiros tijolos de uma casa ou de um templo”.
Eduardo Galeano  do livro "Espelho"


Espelho

Ao ler este trecho do livro "Espelho" me lembro o princípio do Shivaismo do norte da India que ensina que a cada segundo criamos e recriamos universos e que os universos externos à nossa mente são mera manifestação da nossa consciencia. Cada novo empreendimento voce pode honrar as benção de Ganesh. Mas a cada segundo você cria um novo instante nesta vida!


 

Um novo universo a cada instante

Cada pensamento novo você cria um universo dentro daquele limite do pensamento. Pensamentos são na sua enorme maioria limitados ao tempo e espaço. Quando o Yoguin pratica a repetição do mantra "So Ham" e reconhece ser ilimitado, "Eu sou uma 'essência' ilimitada", ou "Eu sou a consciencia que testemunha a própria mente", começa a entender que não é aquele ou aquela que pensa limitado.  Você é "ilimitado" e torna-se ilimitado no momento da consciencia do significado deste mantra: SoHam "aquele que testemunha aquele que pensa" ou aquele que testemunha pensamentos, emoções e o próprio corpo.


 

Ontem a noite eu lia a experiência do mestre Eckart Tolle que conta o turning point dele, quando desesperado na solidão de uma madrugada disse para si (algo assim) "eu não aguento mais este inferno, este Eckart que não para de pensar e neste instante sacou: Espera aí então quem é este que não aguenta mais? Quem é este que não para de pensar e atormenta esta vida? Eu não sou ele. E aí ele começa o reconhecimento do "Si mesmo" de que em essencia ele era o Ser Interior, o Testemunho Interior.


 

 

 

 

Por Sandro Bosco às 18h02

02/03/2009

Para dores nas costas

 
 

Para dores nas costas

 

URDVA MUKHA SVANASANA - posição do cão com o rosto para cima

Benefícios  - Esta postura rejuvenesce a coluna e é especialmente recomendada para pessoas que tem as costas com pouca flexibilidade e rígidas.

Cura muitos tipos de dores nas costas. Pela expansão do peito os pulmões ganham elasticidade. É recomendavel faze-la com a validação médica e sob a orientação de um professor(a) experiente.

Por Sandro Bosco às 16h12

Workshop com Arun

 
Faço um convite àqueles que queiram aperfeiçoar sua prática de Hatha Yoga.
Participem do workshop com Arun, um dos mais atuantes seguidores do mestre B.K.S Iyengar! 

 

 

Workshop com Arun

 

Mais informações pelo site: www.yogadham.com.br

 

Por Sandro Bosco às 15h36

Mais uma do Nasrudin

 
 

Mais uma do Nasrudin

Uma vez alguém roubou o jumento do Nasrudin. Claro que seus vivizinhos começaram a gritar, “ Nasrudin porque você está tão descuidado? Você estava acordado? Porque você não fez algo sobre isto?” . Todos continuaram gritando com ele sobre sua ausência.
Finalmente Nasrudin disse, “Será que ninguém por aqui pode responsabilizar o ladrão?”



Mais uma vez a relação de ação e reação está presente nesta parábola oriental. A lei do karma é a lei que você pode fazer a cada momento e traçar com isto o seu destino. Naturalmente é mais cômodo e comum os seres humanos responsabilizarem os outros pelo seu sucesso ou insucesso, pela sua felicidade ou pela sua tristeza, pela vitória ou derrota. Estar como vítima das circunstâncias no mundo não é uma ação yogue.
No antigo texto do Bhagavad Gita o Sr. Krishna ensina ao guerreiro Arjuna e ensina a cada um de nós que “a ação é superior a inação.”
“Pela inação você não será capaz nem sequer de manter seu corpo” diz um mestre de meditação.
Então faça o seu dever. Cada um sabe qual o seu Dharma neste mundo, qual o seu dever, qual a sua ação construtiva imediata e duradoura; então  faça-a!
Do contrário, descubra-a e faça-a!

Por Sandro Bosco às 14h24

Sobre o autor

Sandro Bosco

Certificado internacional de Iyengar Yoga. Ensina e pratica yoga e meditação há mais de 40 anos, coordena a escola Yoga Dham. Neste blog compartilha regularmente todas estas experiências.

Histórico