Blog do Yogue

Busca

Sobre o blog

A idéia deste meu blog é trazer o mundo do yoga e da meditação mais perto do seu cotidiano.

Adoro responder e investigar sobre este assunto, pois é uma forma preciosa de conhecer mais este universo.

Este nome “blog do yogue” é porque vamos aproveitar a sabedoria de muitos e muitos yogues do passado e do presente para rechear e iluminar o nosso dia a dia. Yogue para quem não sabe é um sábio. E mais propriamente é aquele que chegou lá! Chegar lá no yoga é uma das muitas coisas a se saber...

30/01/2010

O yoga pode ajudar o Lula?

COMENTÁRIO DO POST DE 28 DE JANEIRO /10


 Sandro! Obrigada pelo esclarecimento.Sempre que entro no seu blog para dar uma espiada no seu post do dia, inevitavelmente encontro algo esclarecedor para alguma dúvida ou questionamento,seja de natureza física,mental ou emocional.A identificação sempre vem, porque você fala para o ouvido interior das pessoas e se comunica nas sutilezas e no sentido de dentro para fora(mesmo quando está esclarecendo algo sobre os joelhos). Muito obrigada.Eu e meu joelho agradecemos. Fernanda |  28/01/2010 16:22


RESPOSTA - Fernanda a forma ou motivo que entrei para o yoga até hoje não tenho claro. Quando jovem eu já tinha um interesse pelo misticismo de algumas descrições dos estados interiores e poderes internos yóguicos, alguns livros, editados pela editora pensamento, do Yogue Ramacharaka me fascinava lá pelos meus 15 anos de idade. Mas ao mesmo tempo, na adolescência, o yoga me sarou de um problema de saúde que já se arrastava por cinco anos. Em três a quatro meses de prática regular de Hatha Yoga estava curado! Por isto até hoje acolho com amor os alunos independente do motivo que os trás seja de saúde ou não. Os caminhos do Karma, como diz os shastras (escrituras) hindus, são imprevisíveis e nos forçam na vida algumas vezes a enxergar o que não queremos ver. Nosso presidente da república, por exemplo, teve ou está tendo uma crise de saúde do mal que, estatiscamente, mais mata em decorrência do estresse: pressão arterial alta.


Com um pouco de disciplina e alguns asanas bem conduzidos pode-se fazer melhorar rapidamente deste mal. Mas se não houver uma mudança de atitude e percepção da vida e de valores os yogasanas - posições -  ajudam mas o problema volta. O problema de saúde pode ser uma solução existencial. Algo somatizado no corpo está abrindo nossos olhos para enxergarmos algo que nos fará dar passos maiores e mais firmes no crescimento interior. Mas se  negamos ou evitamos encarar estes avisos ....


Fernanda, obrigado pelo seu comentário e pelas suas palavras e fico feliz que você tenha visitado o blog do yogue.


Os textos e fotos deste blog são reservados aos direitos de publicação dos fotógrafos e do autor, Sando Malburg Bosco, e não devem ser copiados ou reproduzidos sem autorização.

Por Sandro Bosco às 22h50

28/01/2010

Yoga e joelhos

 
 

Yoga e joelhos

UPAVISHTA KONASANA - posição sentada do ângulo

Esta posição com o devido trabalho de alinhamento necessário é uma boa preliminar, dependendo do caso, para atender aos joelhos e quadril fechados e enrijecidos.


Nos últimos anos tem sido comum alunos novos com problemas  no joelho. Muitos são corredores e ficam com esta articulação vulnerável. Outros praticantes de esporte como futebol ... idem. Um praticante de yogasana que não sabe como fazer certas posturas em relação ao movimentos internos, que compõem os movimentos externos, também não está protegido inteiramente de lesão no joelho. Como ocidentais urbanos que não sentam no chão regularmente, desde criança, isto se torna mais comum na prática de yoga especialmente nas posturas sentadas.
Porque?
Porque problemas de joelho podem começar no quadril e conforme e aonde você senta (chão ou cadeira) assim estarão suas coxas e joelhos com mais ou menos abertura. É por isto também que muitos “meditadores”, após alguns anos, saem do chão e passam a sentar para meditar em cadeira pois seus joelhos, com o tempo de prática de meditação, são os primeiros que reclamam.


 Os textos e fotos deste blog são reservados aos direitos de publicação dos fotógrafos e do autor, Sando Malburg Bosco, e não devem ser copiados ou reproduzidos sem autorização.

Por Sandro Bosco às 15h24

25/01/2010

Um passo ao infinito.

O post do blog do yogue que falava da mente serena trouxe reflexões muito ricas dos visitantes desta blogosfera, legal!

A Lu Ribeiro de Camboriu, por exemplo, trouxe a questão do ritmo tecnológico da internet e como ele nos acelera.


 Acelera sim Lu, acelera a  respiração de nós humanos.  E não é só a internet, mas toda a tecnologia tem um tempo que é diferente do biológico humano, é nervoso,é impaciente, Veja o tempo de um elevador, de um micro ondas, de uma moto, de um celular, de um farol de rua, não há tempo para divagar, para relaxar. Acabei de chegar a poucas horas em São Paulo depois de três dias no mato e conversei com várias pessoas do campo (que estes) vivem nas montanhas com plantas e animais e não tem acesso a internet e muito mal assistem televisão. Eles tinham um ritmo das plantas e um passo que parece a respiração de uma montanha. Voltei lembrando que este é mais um bom motivo para se praticar yoga intensamente para se recuperar este .... passo ao infinito.


 O Marcos Taschetto trouxe no seu comentário a reflexão sobre a prática do "Yoga em tempo integral" para ter-se a mente serena, como ensina o sábio indiano Patanjali. Ele ressalta sobre a importância desta manutenção permanente e crescente.

 


 

De fato Marcos, o yoga em tempo integral é a tarefa mais sensata. Se você pratica yoga regularmente com gosto e paixão porque restringir esta prática ao espaço da sala de aula ou da sala de prática. O resultado de uma boa prática de yoga é sentir a mente serena. É um estado precioso demais para não permitimos que ele se estenda por mais tempo. Uma prática de yoga de tempo integral, este estado de vigilância permanente para manter  a mente serena e escolher por aquilo e por aqueles que vão me alimentar para que eu mantenha a mente serena, é como propõe o sábio Sri Patanjali:

 - A principal tarefa de um yogin.


Obrigado pelos seus comentários.


 

Fim de semana ... um passo ao infinito.


  Os textos e fotos deste blog são reservados aos direitos de publicação dos fotógrafos e do autor, Sando Malburg Bosco, e não devem ser copiados ou reproduzidos sem autorização.

Por Sandro Bosco às 22h03

22/01/2010

O Ser, que é você mesmo, transmigra.

"Agora, assim como um ourives, pegando um pedaço de ouro faz uma outra peça, uma outra forma, mais nova e mais bonita, da mesma forma, o Ser Interior, destrói este corpo, afugenta a ignorância e faz uma outra forma mais nova e mais bonita".  BRHADARANYAKA UPANISHAD


Tenho o cuidado neste blog de estar trazendo tanto o aspecto fiológico do yoga contido no que é mais popular hoje , a prática dos yogasanas- posturas -  e seus efeitos para a saúde como também um alimento para aqueles que desejam voar mais alto no sentido de experimentar a doçura e luminosidade do Ser. Nesta toada escolhi esta passagem acima dos Upanishads,  que são escrituras hindu muito antigas, escritas alguns milênios atrás pelos yogues sábios da floresta. Neste texto já encontramos uma definição do Atma – O Ser –  ( que alguns autores ocidentais no decorrer do século passado traduziram indistintamente como alma ou espírito). A "ignorância" no texto refere-se ao desconhecimento da minha verdadeira natureza, de que eu sou "pura consciência".
Temos  também no texto a noção de que nada se perde no caminho yogue. Toda a austeridade realizada nesta vida é somada à evolução e crescimento  no conhecimento de Si mesmo. Toda a tomada de consciência através da meditação yogue  de que eu não sou apenas este corpo e esta mente traz frutos. São frutos atemporais da prática da Yoga e meditação e que transmigram com o atman – Ser Interior -. Vai na sua bagagem, como parte intrínseca do seus méritos adquiridos nesta vida. Méritos no Yoga se adquire pela busca sincera de conhecer o seu Ser Interior.

Boa Viagem!


 

Por Sandro Bosco às 10h08

21/01/2010

Yoga, mente serena e boa saúde!

 
Se você estuda com cuidado e carinho os sutras – aforismos -  do Sábio Yogue Patanjali (260 a.C. ... ) vai notar o quanto no primeiro capítulo  (até o sutra quarenta mais ou menos) ele dedica os sutras às diversas maneiras de manter a mente serena. Se você é um praticante de yoga e meditação e já percebeu e reconheceu a importância ter uma mente serena seja para a sua saúde física e mental, seja para progredir espiritualmente, estes sutras são de grande valor. A partir daí você pode ter como referência, um sistema de escolha, no seu dia a dia este alerta do Yogue.
Pergunte-se -
 - "O que eu estou investindo, adquirindo ou alimentando na minha vida neste momento é algo que vai manter a  mente serena ou por em risco a serenidade alcançada com a prática do Yoga?"
 Aquietar a mente é algo simples que se obtém com uma única técnica de yoga, mas mantê-la serena dia após dia, leva anos, é um investimento de longo prazo. É por isto que a cada pequeno progresso neste sentido o yoguin deve valorizar como um grande ganho!


Pergunto a você: Como manter a serenidade da mente neste yogasana da foto? 

foto - R.Setton

PADANGUSTHA DHANURASANA - (postura do arco) Este yogasana, bem como todos os outros, deve ter como objetivo trazer um estado de unidade interior que é a morada da serenidade da mente.


Efeitos e benefícios - Todas as vértebras são beneficiadas. Todo o corpo, suportando este esforço, torna-se elástico. Todo o peso cai na área abdominal perto do umbigo e em função da pressão na aorta abdominal o sangue circula apropriadamente nos órgãos abdominais. Isto melhora  a digestão e torna estes órgãos mais saudáveis.  Em função do trabalho nas escápulas os ombros perdem a rigidez e traz um grande alívio na tensão dos omoplatas. O mais surprendente efeito contudo, é que atraves deste tremendo esforço a mente fica passiva e quieta. (fonte - Light on Yoga de B.k.S.Iyengar ) 


 Os textos e fotos deste blog são reservados aos direitos de publicação dos fotógrafos e do autor, Sando Malburg Bosco, e não devem ser copiados ou reproduzidos sem autorização.

Por Sandro Bosco às 15h12

19/01/2010

A pequena chama do lampião.

 
 

A pequena chama do lampião.

“A chama de um lampião embora pequena destrói uma imensa escuridão. Similarmente, o conhecimento, embora pequeno, destruirá uma grande ignorância.”
 - Atmaprabodha Upanishad -


Comumente escuto colocações das pessoas “Porque não comecei a praticar yoga antes?” ou  “É muito ruim porque tenho muito pouco tempo para praticar e estudar yoga” ou “Gostaria de poder morar aonde tenha mais condições de ter aulas de yoga”.
Estas insatisfações trazem um sentimento de limitação, perda ou de impotência que não devem ser cultivadas, são as ferramentas do ego que ofuscam a luz interior do contentamento - santosha - Esta é a grande ignorância! Mude seus pensamentos e mude suas palavras! Valorize o que você tem. O Yoga da meditação necessita somente cruzar as pernas, fechar os olhos, observar e testemunhar o movimento da respiração, escolher um canto no seu local onde você possa regularmente cultivar esta prática até pegar o gosto por ela. Tudo o mais que você necessita virá. A Luz do Ser Interior - Atma Prakash - precisa de um alimento e este alimento  é o seu silêncio diário na sua prática de meditação. Inspire-se nas sábias palavras desta escritura milenar dos Upanishads, pois basta acender uma pequena chama!


 

 

Por Sandro Bosco às 16h19

18/01/2010

Yoga e o calor.

 
 

 


 

Nos textos antigos encontra-se referências ao calor interior advindo do despertar da energia espiritual, relato encontrado também em experiências de muitos místicos de diversas tradições espirituais.

No entanto na prática intensa dos yogasanas - posições do yoga - também experimenta-se este calor que traz algumas vezes a necessidade de uma parada breve na sequência das posições de yoga, pois normalmente os praticantes inciantes não estão habituados a este aumento da temperatura súbita que não é só muscular. É quando parece que até o cérebro está quente!



A opção é a prática deste asana das fotos, que pode em pouco tempo baixar e devolver uma temperatura interior mais amena e suportável, assim, algo melhor, para os praticantes que ainda não estão habituados.


fotos -  R. Setton

PRASARITA PADOTANASANA - que significa: prasarita - expandido, pada - pé, base, uttana - alongamento intenso.


Os textos e fotos deste blog são reservados aos direitos de publicação dos fotógrafos e do autor, Sando Malburg Bosco, e não devem ser copiados ou reproduzidos sem autorização.


Por Sandro Bosco às 17h01

17/01/2010

Leia na Revista da Folha ... hoje.

Olá visitante desta blogosfera, hoje na Revista da Folha, (Folha de São Paulo) na "Urbe" (pág. 07),  tem as minhas memórias da vida  nesta querida Sampa dos anos 70, alternativa e interessante. Dê uma olhada!

http://www1.folha.uol.com.br/revista/rf1701201004.htm

Bom domingo!!!

Por Sandro Bosco às 12h15

14/01/2010

A vida física é vulnerável e persistente.

Alguns comentários e e-mails mui ricos e sensíveis chegaram sobre o post de ontem. Obrigado. Eu então diria ainda que:
 - Eventos com grandes perdas que levam os humanos a uma grande comoção nos fazem perceber a vulnerabilidade da vida e do que compõem para nós a vida. Entender todos os eventos nem sempre é possível. Entender, por exemplo, uma experiência que ocorre com você durante a prática de meditação e yoga  nem sempre é possível. As vezes leva tempo e amadurecimento. Algumas experiências são muito profundas, como um oceano. Lá no fundo não tem luz. È preciso que a visão se acostume para enxergar algo. Outras experiências são como galáxias no firmamento, são imensas, tem luz própria, mas é preciso olhar, olhar e contemplar  não dá para colocá-las de imediato numa caixa de sapato, e definir, é isto! A galáxia com milhões de estrelas não cabe numa caixa de sapato!


foto - Denise Adams

Pratique Yogasanas com os olhos abertos, mas mantenha a visão simultânea do fora e do dentro. A consciência deve estar presente e englobar todo o corpo e ao mesmo tempo enxergar o mundo lá fora. Esta em si é uma  experiência incomum e rica!

Por Sandro Bosco às 17h58

13/01/2010

Yoga, meditação: o sofrimento no Haiti.

 
 

Yoga, meditação: o sofrimento no Haiti.

Neste momento a compaixão nos enternece. Muitas mortes repentinas. A incompreensão permanece. Oque é morrer? Porque morrer? Mas como não morrer? Como viver se eu não morrer? Morto aonde eu vou? Morto aonde eu fico? Quem sou eu depois da morte?

Fui só. Estarei só? Como estar só se não estou vivo? Sou alguém depois da morte? A mente racional não preenche este vazio. A "não mente" é  pura consciência. A morte cabe na consciência . A morte é vasta, a consciência é um oceano. A morte não cabe na razão, ela é maior que o maior. A morte é o desconhecido.


 A prática do yoga, e da meditação, nos leva do conhecido ao desconhecido.


Por Sandro Bosco às 22h00

Pare os pensamentos agora!

 "Aquele que está parado alcança o que está correndo".
Ditado do Zen


Quando a mente está parada é quando ela pode estar consciente do momento presente, do lugar que você está, da pessoa que está a sua frente, da natureza a sua volta, é a única forma dela (a mente) afastar-se das teias poderosas da Deusa Maya que envolve a visão humana com o véu da ilusão. Os humanos urbanos nem sabem porque estão correndo e por isto nem sabem porque suas mentes são desenfreadas e ansiosas e por isto adoecem. Adoecem porque não percebem o vento na pele, a nuvem no céu ou o gesto de alguém que quer lhe dar atenção ou afeto e assim, porque não conseguem respirar fundo e sentir prazer neste ato. Tem mêdo do prazer ou se culpam pelo prazer. Estão correndo sem saber para onde e sem saber daonde para aonde.


Fique parado e testemunhe, agora, a vida a sua volta. Se precisar feche os olhos e  testemunhe a sensação da vida em seu próprio corpo.



Por Sandro Bosco às 18h04

12/01/2010

Yoga para os dias de calor

Várias posturas são adequadas para os dias de calor. Como há um torpor e moleza corporal e no fim do dia normalmente somos acometidos de um cansaço incomum é quando uma prática com yogasanas  - posturas do yoga - que restauram a energia vital  - prana - são recomendáveis.

Sirshasana - pouso sobre a cabeça

As posturas invertidas sobre a cabeça e sobre os ombros  - sirshasana, sarvangasana e halasana respectivamente - e em geral todas elas, são restauradoras, descansam e renovam o ânimo, experimente! Contudo o mais importante é manter a permanência pois ela intensifica os efeitos e benefícios.

Sarvangasana - com a cadeira proporciona permanência maior e estabilidade parar iniciantes.No verão termine suas práticas de yoga com relaxamento prolongado em shavasana - postura deitada de costas traduzida por posição do cadáver - que também repõem a disposição.É desta forma que, conhecendo os efeitos e qualidades dos asanas você pode equilibrar os gunas - conhecidos como os humores corporais e assim adaptar-se às alterações das estações da natureza.


 

Shavasana - com este tipod e apoio tornam a postura ainda mais eficaz no descanso e na reposição da disposição



Por Sandro Bosco às 21h59

11/01/2010

Dica para meditação

Você já meditou sentado na frente de um espelho? É uma experiência interessante porque envolve não identificar-se com a sua pessoa neste corpo. A pergunta que pode ser feita a si mesmo é "se você é uma pessoa ou se voce é alguém, somente porque tem um corpo e pode olhar e sentir este corpo?"


Se você já tem uma prática avançada de meditação,  o que significa conseguir sentar por longo tempo em um dhyanasana - posição de meditação -, sem sentir inquietação no corpo e sem sentir dores,  aí sim é uma técnica adequada para você, pois pode torna-se uma técnica poderosa e transformadora. Por isto exige tempo de permanência na postura sem movimentos e também ter a mente focada em "só olhar" e ver o seu rosto sem julgar, "só observar", "só testemunhar". Daí para frente exige coragem e se vocë começar a julgar ou dispersar é uma reação de mêdo de não estar preparado ainda para este "auto-observar-se", sem fugir para rótulos, opiniões e conceitos.


Por Sandro Bosco às 22h09

10/01/2010

De volta a este querido blog!

 
 

De volta a este querido blog!

Olá visitantes desta blogosfera estou de volta! Como boa parte dos brasileiros e paulistanos estive viajando só que meditando e flutuando entre montanhas, rios e cachoeiras  sem computador, sem internet, mas com boas práticas de yoga em locais incriveis!

Amanhã começamos com as aulas no Yoga Dham.

Seja bem vindo!


 

Eu mesmo flutuando no rio Jacarepepira nos ultimos dias de dezembro no meio de um rafting incrível!

Por Sandro Bosco às 21h35

03/01/2010

O nordeste pede professores de yoga.

 
 

O nordeste pede professores de yoga.

Atenção visitantes desta blogosfera, a Paula de Almoeda Rodrigues JPA, na Paraíba, deixou um comentário aqui outro dia pedindo que eu fizesse um apelo para que mais professores(as) de Yoga se instalem no nordeste brasileiro pois segundo ela há uma carência enorme de professores(as) de yoga e ela acrescenta, que, os que já  fizeram esta opção de vida estão com muito

trabalho nas terras nordestinas brasileiras.


 

Para inspirar os que possam se interessar na chamada da Paula, segue uma foto de 2009 do yogin que vos tecla meditando na sombra em areias baianas.


Por Sandro Bosco às 18h52

01/01/2010

2010 chegou mas só o que existe é o momento presente!

Desejo a você um 2010 repleto de
 
Luz
Amor e
Consciência
 
Sandro Malburg Bosco

Por Sandro Bosco às 13h04

Sobre o autor

Sandro Bosco

Certificado internacional de Iyengar Yoga. Ensina e pratica yoga e meditação há mais de 40 anos, coordena a escola Yoga Dham. Neste blog compartilha regularmente todas estas experiências.

Histórico