Blog do Yogue

Busca

Sobre o blog

A idéia deste meu blog é trazer o mundo do yoga e da meditação mais perto do seu cotidiano.

Adoro responder e investigar sobre este assunto, pois é uma forma preciosa de conhecer mais este universo.

Este nome “blog do yogue” é porque vamos aproveitar a sabedoria de muitos e muitos yogues do passado e do presente para rechear e iluminar o nosso dia a dia. Yogue para quem não sabe é um sábio. E mais propriamente é aquele que chegou lá! Chegar lá no yoga é uma das muitas coisas a se saber...

17/07/2013

Pranayama yogue e a qualidade do ar

 
 

Pranayama yogue e a qualidade do ar

Nessa época do ano  tendemos a praticar mais pranayamas (respiratórios)  pela dificuldade que é respirar no inverno em algumas regiões do Brasil, onde pode ocorrer mais dificuldades nessa area e afecções do parelho respiratório. Por isso resolvi publicar essa conversa recente com um visitante desta blogosfera.

Professor Sandro, excelente seu blog, meus parabens. Tenho uma duvida sobre exercicios respiratorios, diversas vezes qdo faco respiracoes profundas seguidas mesmo sem reter o ar, acabo ficando com os sintomas de uma gripe, com espirros, nariz trancado e as vezes febre.  Tem alguma ideia de porque reespirar mais profundamente pode me causar isso? Obrigado, e parabens pelo blog Rogerio /   16/07/2013 18:00



Resposta:Rogerio, nessa época do ano o ar está mais seco em todo o sul e sudeste do Brasil, por isto tente fazer o exercício respiratório com um umidificador de ambiente próximo para facilitar a respiração. No geral em todas as épocas do ano observe o melhor horário para os pranayamas que é antes do amanhecer, pelo mesmo motivo: o ar está mais puro e úmido. Se o problema persistir, um professor experiente ao seu lado pode verificar como você está fazendo e orientá-lo melhor. Obrigado pelo seu comentário. Sandro

Por Sandro Bosco às 17h40

14/07/2013

O mêdo na yoga

 
 

O mêdo na yoga

 

 

Ontem lembrei de uma aluna da época que eu tinha um estúdio de yoga em um prédio. Ela frequentava  as aulas com regularidade e com uma  atitude que vinha do coração. Uma dia me disse que toda vez que a porta do elevador fechava e começava a subir ela sentia um frio na barriga de medo.

‘Mas medo do que?’ eu perguntei. Seu medo era do desconhecido, dos desafios que enfrentaria nas aulas, nas posturas. Mas apesar dos olhos temerosos, encarava-os sempre com foco e pés bem no chão. Alunos assim entregues e dedicados me alimentam. Sempre me fascina quando uma pessoa percebe e reconhece seus medos e se dispõem a encará-los pelo yoga.

 

 

Por Sandro Bosco às 21h18

Sobre o autor

Sandro Bosco

Certificado internacional de Iyengar Yoga. Ensina e pratica yoga e meditação há mais de 40 anos, coordena a escola Yoga Dham. Neste blog compartilha regularmente todas estas experiências.

Histórico