Blog do Yogue

Busca

Sobre o blog

A idéia deste meu blog é trazer o mundo do yoga e da meditação mais perto do seu cotidiano.

Adoro responder e investigar sobre este assunto, pois é uma forma preciosa de conhecer mais este universo.

Este nome “blog do yogue” é porque vamos aproveitar a sabedoria de muitos e muitos yogues do passado e do presente para rechear e iluminar o nosso dia a dia. Yogue para quem não sabe é um sábio. E mais propriamente é aquele que chegou lá! Chegar lá no yoga é uma das muitas coisas a se saber...

28/05/2009

Meditar deitado ou sentado?

COMENTÁRIO DO POST DE ONTEM - É possível parar a mente? 27/05/2009 18:01
Ola Sandro!! Acabando agora uma pratica meditativa me veio uma questão..já li muito dos benefícios físicos da pratica meditativa, mas como considerá-los reais quando a mente é tão agitada, mesmo em dias mais tranqüilos? Não seria melhor somente um shavasana?? namaste!! Daniel 28/05/2009 10:28

Resposta - Auto-reconhecimento é a chave!
Daniel, depende até aonde você considera os benefícios. Esta percepção de que a sua mente está agitada e que você pode fazer shavasana – postura do cadáver – já é não é um grande benefício? Esta é uma percepção interior de si mesmo que você adquiriu através da prática da meditação. Sugiro que você passe a dedicar alguns minutos após a meditação para escrever de forma despretensiosa um testemunho da sua prática de meditação. Faça isto sempre que meditar. Você pode se surpreender com a imensidão de coisas que percebe durante a meditação e não se dá conta porque depois elas se esvaem no profundo oceano da memória. É como um diário de bordo da sua viagem interior. Experimente!

Meditar sentado ou deitado?

Quanto ao shavasana é uma postura onde se adormece facilmente e assim você não vai diferenciar meditação de sono. Por esta razão os yogues nos orientam a sentar para meditar. Se você deitar em shavasana para dormir e acordar de manhã e estiver na mesmíssima posição sem ter se mexido, talvez possa ter a certeza de que não dormiu e sim meditou, mas isto não acontece pois entramos no sono e nele o corpo entra em movimentos e sonhos e aí não é meditação é kriya - movimento ou depuração.

SHAVASANA - shava - cadáver, asana - posição. Também conhecida como posição do corpo morto.


Por Sandro Bosco às 18h19

27/05/2009

É possível parar a mente?

 
 

É possível parar a mente?

Comentário no Blog do Yogue desta segunda feira


Olá Sandro, estava lendo um post do ano passado ("Demita sua mente")e fiquei me perguntando, quase que aflito, mas como fazer isso? Tenho praticado ásanas e meditação diariamente e parece que minha mente nunca foi tão evidente, tão barulhenta, tão inquieta. É impressionante a versatilidade e rapidez com que cria e desfaz realidades, e também é impressionante como eu acabo mordendo a isca e caindo em várias armadilhas dela. Em alguns momentos queria apenas desligar o botão. No início da aula do sábado desse último módulo, você ficou apenas em silêncio e enquanto toda a sala estava quieta, eu pulava por dentro, milhões de idéias, hipóteses, explicações...até que me ocorreu "eu estou aqui" e isso me aquietou. Sei que estou me transformando, mas as vezes me pergunto se estou no caminho certo. Namaste.
marcos f. taschetto  25/05/2009 09:55


Resposta do Blog do yogue

Marcos, que bom você descobriu o mantra que resolveu o momento da meditação. Você deu um "aqui  /agora" para a sua mente. Mantra em línguas antigas ou as línguas mães como são chamadas, e o sânscrito é uma delas, são ‘palavras de poder’. Mas toda palavra em qualquer língua contém  a matrika shakti, a energia mãe ou energia criadora de cada letra e que tem o poder de criar e transformar, construir ou destruir. 


A mente como instrumento

A mente é um instrumento do ego e o ego envolve o querer e a insatisfação de que algo não está completo, precisa-se sempre de algo mais para se sentir completo. Esta é a linguagem nem sempre revelada do ego. Na meditação isto pode apavorar o ego e que através da mente cria as armadilhas como você detectou. Mas... se você detectou as armadilhas eu te pergunto, quem detectou a armadilha?
A consciência! Pois ela, que não é o pensamento, é que pode detectar os pensamentos e as armadilhas. E aí você percebe a partir do trono do meditador e não do pensador.



Isto é o principio da meditação!
Os yogues explicam que manashakti ou energia mental é parte da energia universal ou  da infinita chitshakti, por isto é tão grande o poder da mente.
Um grande yogue de Maharashtra /Índia diz que “é mais fácil parar um oceano do que parar os pensamentos”. Mas a mente pensa por palavras e cria movimento através das palavras, por isto o alimento para a mente que leva ao estado de  meditação é a palavra, o mantra.  Por isto este como outros yogues ensinam o mantra para entrega da mente a sua origem: o silencio.


Voltando a sua experiência

Quando você disse com resolução “mas eu estou aqui”; isto foi a solução. Como sempre lembro que : meditação é como um relacionamento consigo mesmo ou se preferir: a com a sua consciência. Como todo relacionamento tem flutuações, tem humores, tem adaptações. A mais poderosa das qualidades para este relacionamento com alguém  tão especial que é  sua própria  consciência ( você mesmo) é amor,  dedicação e paciência.


 

Por Sandro Bosco às 18h01

25/05/2009

Prática Yogue de domingo

 
 COMENTÁRIO do post entitulado:

 Um símbolo  de 21/05/2009



Sandro, recentemente tive um sonho, onde eu estava consciente do que fazia, e sentia as coisas de uma maneira diferente. Era minha casa, recebi a visita da minha melhor amiga...mas estava tudo tão claro, e eu feliz... A visão que vc descreve, é um símbolo. Para mim estes sonhos "atuantes" também são símbolos, indicativos de que estamos bem ativos enquanto dormimos! Agora eu pergunto, não corremos o risco de gostar demais destes momentos, de espaço interior?
Monica Leite
   22/05/2009


Resposta:

Monica, quando estamos coscientes do que sonhamos é a constatação da existência de uma "Consciência do Ser" que vai além dos sonhos e dos pensamentos. Li estes dias a reflexão de um sábio contemporâneo que diz que "se houvesse somente pensamentos dentro de nós não poderíamos ter consciencia deles". Logo, se temos consciência deles e dos sonhos podemos perceber ou pelo menos admitir que estamos conscientes deles à partir da "Consciência Testemunha", o atman.


Contribuição dos sábios yogues da antiguidade

Estudando todas as outras tradições do oriente e do ocidente, encontramos somente no Yoga esta menção à "testemunha interior" que é a qualidade ou atributo pleno do "Ser Interior"  e que  é a grande e diferente contribuição que o Yoga trouxe aos buscadores da verdade .

Esta prática de "testemunhar" eleva a sua prática do yoga pois este exercício do "puro observar' pode estar presente no yogasana -postura - ao encobrri e penetrar o corpo inteiro com a sua "atenção plena", pode ser praticado ao ouvir alguém numa conversa, ao comer um alimento, ao abraçar uma pessoa, ao contemplar a natureza do mar ou uma nuvem no céu.


Prática yogue de domingo

Ontem de manhã ao passear a pé em São Paulo, mostrava ao meu filho pequeno a beleza de uma rua que é repleta de várias árvores enormes e frondosas chamada "pau ferro", que tem um tronco cheio de nuâncias de cor e consistência da casca, naquele momento consegui ver e sentir ( e acredito que este era o estado que ele também estava e via) a árvore não como algo que eu classificava como uma planta, uma árvore, etc ... mas como algo vivo, pleno e sábio diante de mim, tão poderoso e imenso como um oceano. Esta observação me deixou mais alerta e tranquilo na minha caminhada, trazendo aquela sensação interior muito boa da existência indiferenciada. Obrigado pelo seu comentário. Sandro


 

Por Sandro Bosco às 10h40

09/05/2009

Lua cheia especial

 
 

 

Lua cheia
Já passa de meia noite mas ainda vibro as ondas de tranqüilidade e contentamento da comemoração do 101 aniversário lunar do grande Siddha Swami Muktananda (1908 – 1982) . Swami é como um monge, swa é um sufixo e significa "si mesmo". Muktananda significa o êxtase da liberação.



 A lua cheia de maio.
 Um grande sat sang – encontro de praticantes de mantra e meditação. Faz 25 anos que realizamos a primeira comemoração oficial em São Paulo do aniversário deste grande sábio, puro e iluminado.


O que é um Siddha Yogue?
 Estar na companhia de um mestre Siddha (siddha significa perfeição e aperfeiçoado) é transformador. Sua presença funciona como um emissor de ondas magnéticas, você é banhado pela imensa quantidade de prana – força vital  - que esta pessoa gera. É como um imenso aparelho eletrônico de irradiação. Só  que estas ondas energéticas são de amor e conhecimento. A mente silencia sem nenhum esforço contagiada pelo estado interior do mestre Siddha.



Anos 70
Em 1979 ao voltar de seu ashram escrevi uma carta convidando Swami Muktananda a conhecer o Brasil. Sua resposta continha  palavras carinhosas, acolhedoras e proféticas. Não disse que não viria, mas disse que eu envolvesse antes mais pessoas na prática do mantra e da meditação no Brasil. Os anos passaram e suas palavras foram férteis e visionárias. Uma comunidade de meditadores se formou naturalmente no Brasil com a vinda de mais e mais praticantes que o conheceram lá fora. Palavras de um Siddha que tem o poder vivo da criação. Seu comando é um sankalpa – vontade infinita - .



Gratidão
Devo a Muktananda este fenômeno interior de transformação que é a prática da meditação. Comecei conhecendo a mente que está além da mente. A mente silenciosa, que pensa sem pensamentos que compreende sem a razão. A mente que é consciente de si mesma. Aí percebi que não poderia ser chamada de mente pois de fato é um mar de pura consciência. Porque é mais quieta que uma caverna profunda, é pura consciência. Tão tranqüila como a superfície de um lago sereno. Ela se dissolve em meditação no seio do coração e passa a se chamar -  chit shakti. Obrigado Baba Muktananda, a você as minhas mais profundas reverências.


Em seu livro "Eu sou Isto" Muktananda diz:

 - Enquanto você tem o sentimento de dualidade, o sentimento que um ser humano é diferente do outro, que uma classe é distinta de outra, não poderá experimentar a felicidade verdadeira. O sentido do "outro' é a fonte de todo o temor, de todo sofrimento e de todos os pecados.


 Veja link ao lado  - Baba Muktananda na América 1970.


Por Sandro Bosco às 01h21

Sobre o autor

Sandro Bosco

Certificado internacional de Iyengar Yoga. Ensina e pratica yoga e meditação há mais de 40 anos, coordena a escola Yoga Dham. Neste blog compartilha regularmente todas estas experiências.

Histórico