Blog do Yogue

Busca

Sobre o blog

A idéia deste meu blog é trazer o mundo do yoga e da meditação mais perto do seu cotidiano.

Adoro responder e investigar sobre este assunto, pois é uma forma preciosa de conhecer mais este universo.

Este nome “blog do yogue” é porque vamos aproveitar a sabedoria de muitos e muitos yogues do passado e do presente para rechear e iluminar o nosso dia a dia. Yogue para quem não sabe é um sábio. E mais propriamente é aquele que chegou lá! Chegar lá no yoga é uma das muitas coisas a se saber...

29/09/2009

Muita luz na sua passagem!

 
 

Hoje faleceu um dos primeiros professores de yoga da cidade de São Paulo, o prof. Shimada. Ele tinha 80 anos e dirigia sua escola na rua da Consolação desde 1958.
Que as bençãos da luz divina o assista e o proteja nesta passagem.
Namastê


Por Sandro Bosco às 17h47

07/09/2009

O que é a meditação?

 
 

O que é a meditação?

Contentamento: fundamental no yoga  02/09/2009 18:05
COMENTÁRIO DO POST DE 02 DE FEVEREIRO

Oi Sandro, Toda vez que eu acordo eu sinto exatamente como você descreveu no post e depois de um tempo os pensamentos invadem e essa sensação suave de tranquilidade plena passa. O objetivo da meditação é justamente atingir essa sensação, mas de maneira consciente? Abraços
Elias |  02/09/2009 21:40


Elias demorei para responder seu comentário pois queria publicá-lo. Sua pergunta sobre o objetivo da meditação é interessante, é rica porque vem da sua experiência.
Algumas pessoas meditam porque a saúde melhora, pois a prática, por exemplo, reduz os sintomas negativos do estresse, melhora a pressão arterial alta e outros benefícios também ocorrem. Contudo mais cedo ou mais tarde se você persevera, a meditação traz algumas percepções de um universo que podemos chamar de espiritual. Por que espiritual? Espiritual porque está além da compreensão mental do mundo das pessoas e da natureza que nos cerca. Esta além das religiões porque independe se você é adepto de alguma religião ou se você é ateu. É a descoberta e vivência em um universo interno que pode e deve ser traduzido em palavras mas nem sempre traduz a experiência vivida na meditação mas ao menos nos aproxima do entendimento e constatação deste mundo interior. A verdadeira meta da meditação portanto é conhecer nossa verdadeira natureza, nosso ser interior, que é a nossa própria consciência. No yoga chamamos deste Ser interior de atma ou “o testemunho”, que como você descreve, é aquele que pode perceber o estado sem pensamentos, por exemplo, quando você acorda e testemunhar o que está ocorrendo dentro e fora de você e que não é o pensamento. Obrigado pelo seu comentário.


 

 

 

Por Sandro Bosco às 15h53

02/09/2009

Contentamento: fundamental no yoga

 
 

Santosha - contentamento
Uma qualidade importante para a prática de yoga.

Cultiva-lo é importante.
Não está disponível sem esforço.
Está disponível sem esforço.

O esforço para continuar sempre,  pode ser encontrado no contentamento.
O esforço nutre o contentamento.
O contentamento nutre o esforço.
 
O esforço sobre si mesmo pode (deve) tocar com suavidade a parte mais interna do centro do coração e acorda-lo diariamente.
Mantê-lo acesso nos momentos difíceis e nos fáceis. O contentamento que mostra um doce e pequeno sorriso dos cantos dos lábios.
O esforço do contentamento em forma de gratidão pela vida.


Dois sábios yogis

Sri Maharish Patanjali o grande sábio indiano (260 a. C.), em seu indispensável livro Yoga Sutras, inclui em seus ensinamentos a importância do contentamento – santosha -. Talvez decálogos estivessem na moda naquela época e  ele o inclui nos seus dez niyamas e yamas - disciplinas internas e externas - .

Um sábio yogi de Maharashtra na India ensina “Que o contentamento pode destruir o ego”.
Que ego estamos falando?
Aquele que o faz sentir pequeno e miserável, aquele que dá a falsa noção de si, aquele que o afasta do amor pelos outros e que obscurece o sentimento de unidade e entrega.


Ego

O ego em sânscrito chama-se ahamkara, que significa aquele que divide, que separa e o afasta do que antes era uno, era pleno.


A sua experiência
Lembre-se de um momento que você estava dormindo e ao acordar devagarzinho sentiu que vinha de um lugar interno ou estava em um estado onde se sentia inteiro. Talvez pleno, sem desejos, se sentindo completo. Isto ocorreu por quanto tempo (?) antes de seus pensamentos entrarem naquele espaço. Num estado assim você estava ainda sem o domínio do ego.
Você já sentiu isto?

Você já se sentiu assim?
Foi bom?


 

Experiência de hoje cedo ..
.... quando eu estava na prática de dhyana, meditação, percebi como a mente estava cheia de pensamentos movimentados. Parecia um canal de TV de vendas e me oferecia mais do que eu pudesse consumir. Entrei no mantra que me leva ao vazio e o repeti com a respiração. Percebi que internamente minha consciência começou a se expandir neste estado vazio. Neste lugar havia silêncio. Pedi, sem palavras, abrigo e proteção neste local vazio e silencioso. Em outro espaço, como que lá fora, a tempestade ruidosa de pensamentos parecia continuar, com seus raios e trovões e eu me distanciava suave e continuamente dela. Sentido-me mais e mais protegido e abrigado neste vazio silencioso e restaurador das energias.


 

Por Sandro Bosco às 18h05

Sobre o autor

Sandro Bosco

Certificado internacional de Iyengar Yoga. Ensina e pratica yoga e meditação há mais de 40 anos, coordena a escola Yoga Dham. Neste blog compartilha regularmente todas estas experiências.

Histórico