Blog do Yogue

Busca

Sobre o blog

A idéia deste meu blog é trazer o mundo do yoga e da meditação mais perto do seu cotidiano.

Adoro responder e investigar sobre este assunto, pois é uma forma preciosa de conhecer mais este universo.

Este nome “blog do yogue” é porque vamos aproveitar a sabedoria de muitos e muitos yogues do passado e do presente para rechear e iluminar o nosso dia a dia. Yogue para quem não sabe é um sábio. E mais propriamente é aquele que chegou lá! Chegar lá no yoga é uma das muitas coisas a se saber...

29/08/2010

Acabando o estresse e a preocupação.

 
 

Acabando o estresse e a preocupação.

"Todos sabem que a gota se mistura ao oceano, mas poucos sabem que o oceano se mistura à gota"  - Kabir *-


O pequeno se encontra no grande, o grande no pequeno, o grande carvalho está contido na pequena semente.

Onde termina o professsor onde começa o aluno? Onde termina o mestre, onde começa o discípulo? Onde termina o ensinamento onde começa o aprendizado?

Quando termina o conceito do que é yoga e quando começa a experiência? 

O fora e o dentro são aspectos das lentes do óculos da “inteligência dual”. Se mudo as lentes deste óculos tudo pode ocorrer.

Quando a dualidade se dissolve vemos tudo neste mundo e nesta vida unificadamente. Então não há mais estresse, não há mais dúvida, não há mais preocupação.


*Kabir(1440—1518)  um dos grandes poetas místicos ou santos-poetas da Índia medieval, tendo composto poemas que evidenciam a fusão entre o movimento de bhakti hindu e o sufismo muçulmano, movimentos religiosos que exercem profunda influência cultural em todo o mundo até os nossos dias. Kabir nasceu numa família de brâmanes hindus e foi mais tarde adotado por muçulmanos, no norte da índia, perto de Varanasi.


Os textos e fotos deste blog são reservados aos direitos de publicação dos fotógrafos e do autor, Sandro Malburg Bosco, e não devem ser copiados ou reproduzidos sem autorização.

Por Sandro Bosco às 17h50

19/08/2010

Carta especial a um amigo

 
Caro Sandro. É Jorge H.  que escreve. Senti a necessidade de passar a você a informação do desencarne de meu irmão, Angelo, que ocorreu hoje de manhã. Tenho certeza de que ele gostaria que eu avisasse você. Amanhã as 10:15 hrs estaremos homenageando a sua passagem com um Kirtan e Mantra Yoga no Cemitério e Crematório Memorial Paulista.
Grande Abraço
Jorge

Querido Jorge, infelizmente não abri o computador nem ontem a noite nem hoje de manhã e recebi através de uma amiga comum só a tarde a noticia sobre o desencarne do seu irmão Bhuvana. Eu havia falado com ele recentemente pois vinha ligando para saber dele. E sempre o ouvia (em meio a toda a grave situação da sua saúde ) com voz e palavras entusiasmadas. Ano passado quando soube que estava doente liguei para ele e finalmente em nossa conversa quando interrompi o nosso papo animado e perguntei do estado de saúde ele exclamou "Eu estou ótimo meu corpo é que não está bem". Isto na hora me desconcertou pelo desapego espontâneo dele em relação ao corpo físico e pela fé na vida espiritual.
Hoje para lembrar da sua voz e do seu jeito cantando no harmonium, estava ouvindo bhajans do Bhakti Vedanta no carro e tive que estacionar para respirar emocionado. Foi   então um sentimento forte quando aproveitei e liguei para o celular dele com a intenção de falar com a Noemia e ouvi a voz dele forte, grave e determinada gravada na caixa postal do celular.
Inexplicavelmente a lembrança naquele instante de que o atma, a alma, não morre me arrebatou!
A primeira vez que ouvi o Ângelo cantanto os bhajans em 1981 ou 82 na escola C.O.R.P.O. fui muito tocado (e sempre) e fortemente pela sua inabalável devoção ao Maha-mantra, ao Guru e a Deus.
Meu conforto interior neste momento é total pois sei que está agora aos pés sagrados e protetores de Sri Prabhupada e sob o manto de amor do Sr.Krishna.
Ele é um prema bhakta e sempre continuará me inspirando pelo seu imenso amor a Deus.
Hari bol
Hari OM
Namaskar!


Os textos e fotos deste blog são reservados aos direitos de publicação dos fotógrafos e do autor, Sandro Malburg Bosco, e não devem ser copiados ou reproduzidos sem autorização dos autores.


 

Por Sandro Bosco às 22h11

18/08/2010

A proposta do yoga é o "Agora"

 
 "O amanhã não existe... O que precisa ser feito, precisa ser feito hoje... No dia seguinte, será duas vezes mais difícil; no dia depois, será quatro vezes mais difícil. Você só pode contar com hoje." G. I. Gurdjieff

As sábias palavras de Gurdjieff nos alerta para o quanto costumamos ter a vida como segura e isto nos distancia do momento presente. O imponderável mora aqui ao meu lado e mora aí ao seu lado. A vida é impermamente e nada garante o amanhã nem sequer o momento seguinte. O amanhã é uma subjetividade da mente. Quantas vezes você já não conheceu pessoas que buscam a "espiritualidade" quando estão temendo morrer por alguma doença terminal ou alguma outra gravidade na saúde física? Estes fatos e lembranças entram em esquecimento quando você vira a página deste texto e então, a dança do passado e do futuro, o poderoso Maya (ilusão) do tempo continua a ludibriar você e prosegue a enfeitiçar os seus pensamentos.

Até quando?


 Os textos e fotos deste blog são reservados aos direitos de publicação dos fotógrafos e do autor, Sandro Malburg Bosco, e não devem ser copiados ou reproduzidos sem autorização dos autores.

 

  

Por Sandro Bosco às 14h31

12/08/2010

Yoga e a sabedoria de Einstein

 
 

Yoga e a sabedoria de Einstein

'Os problemas que existem no mundo não podem ser solucionados pelo nível de pensamento que os criou.'
Albert Einstein


A maioria das pessoas pensa em como resolver problemas no mundo e que foram causados pela sua maneira de pensar e portanto causados pelos seus próprios pensamentos:

 -  pensando.

Estas mesmas pessoas talvez  desconheçam que as grandes  soluções que tiveram na sua vida e que partiu delas mesmo, veio de um local mais profundo de si mesmo que está além da esfera dual dos pensamentos.
É necessário você ter uma prática diária e regular que o faça reconhecer melhor esta diferença. E necessário ter o hábito de sempre refletir e contemplar e estas são práticas que não usam a matéria chamada ‘pensamento’.


A meditação e o yoga são excelentes ferramentas para afinar esta percepção de que estou falalndo.

Quando você tem uma idéia criativa ou uma experiência significativa com este tipo de prática ela ocorre num nível mais profundo. Você a reconhece na superfície da sua percepção, mas ela  - a experiência  - ocorreu e veio de um lugar mais profundo em você.
A “Experiência” se revela por detrás da cortina de pensamentos.

Alguns peixes para saltarem alto para fora d’água e experimentarem o “vôo” fora da água, vem de um movimento e impulso bem mais fundo, lá do fundo do mar.
Da mesma forma quanto mais reveladora e forte a sua experiência, quanto mais você salta para fora do oceano de maya  - ilusão – e tem através do yoga uma visão da realidade, tenha certeza que veio das águas mais profundas do seu próprio Ser - atma -.


CURSO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO YOGA DHAM

 NOVA TURMA COM  INICIO EM AGOSTO 2010

VISITE WWW.YOGADHAM.COM.BR

DÚVIDAS ? - YOGADHAM@YOGADHAM.COM.BR

ÚLTIMAS VAGAS

 


 

Os textos e fotos deste blog são reservados aos direitos de publicação dos fotógrafos e do autor, Sandro Malburg Bosco, e não devem ser copiados ou reproduzidos sem autorização.


 

 

Por Sandro Bosco às 18h15

10/08/2010

A imagem do Ser

 
 
"Os yoguins vêem Shiva no Ser, e não nas imagens. As imagens foram criadas para que os ignorantes possam contemplá-lo"
Darshana Upanishad

Neste texto o 'ignorante' não tem o tom ou sentido pejorativo da nossa lingua e da nossa cultura mas está mais próximio daqueles que ignoram uma vida e uma existência além do corpo físico e do que os órgãos de percepção captam.
Muitos e muito séculos depois deste texto ancestral dos Upanishads, o grande sábio Patanjali - contemporâneo de Buda e de Cristo - já dizia que uma das primeiras causas do sofrimento humano é avidya - "a" significa "não" e "vidya" conhecimento e sabedoria - . O conhecimento a que se refere os Shastras, textos sagrados hindus, é o do des-conheciemnto ou esquecimento da verdadeira natureza humana. Normalmente passa-se uma vida identificando-se com os pensamentos e com os objetos exteriores que atraem os órgãos de percepção. Isto tudo como sabemos é uma realidade criada a partir da mente humana e assim de cada ser humano e sobretudo é temporária e volátil, oque nos leva irremediavelmente a sensação da dor de perdê-la.

Imagem do Sr.Shiva na India tido como aquele que revelou o Yoga aos seres humanos. Símbolo do primeiro yogue
Os textos e fotos deste blog são reservados aos direitos de publicação dos fotógrafos e do autor, Sandro Malburg Bosco, e não devem ser copiados ou reproduzidos sem autorização.

Por Sandro Bosco às 18h48

Sobre o autor

Sandro Bosco

Certificado internacional de Iyengar Yoga. Ensina e pratica yoga e meditação há mais de 40 anos, coordena a escola Yoga Dham. Neste blog compartilha regularmente todas estas experiências.

Histórico