A riqueza

"meus ouvidos exteriores ouvem o grito abafado das corujas , mas tudo isto esta do lado de fora da minha consciência . Sei que meu corpo físico esta em contato com o mundo exterior , mas  no interior o verdadeiro "EU" reina em silêncio ...Eu não trocaria toda a riqueza do universo por esse silêncio...Sei que ele é o alicerce que não se perde quando o mundo dos sentidos for reduzido a pó. Nessa quietude não há desejos . Ele é independente de tudo . Quando toma conta da minha consciência tudo que pensava que fosse eu mesmo desaparece . Não podemos vê-lo pelo simples fato de que nesse estado nada existe , a não ser "ELE".  - Mouni Sadhu -


 

Uma parte que me toca neste texto é “...Eu não trocaria toda a riqueza do universo por esse silêncio”.

Buscamos tanta coisa para ser feliz na vida e nos sentirmos satisfeitos mas esta é a riqueza inabalável. Quando se tem esta riqueza que o autor descreve tanto a pobreza material quanto a riqueza material, tanto a saúde como a doença, podem ser vividas com equanimidade.

Quantos tem tudo que o mundo material pode oferecer mas não tem paz nem sossego mental?

Quando você começa a experimentar mais e mais o rasa - o néctar - deste silêncio, ele vai  acalentando o mais íntimo do seu Ser, ele abranda o fogo na alma de um yoguim na busca por um porto seguro.


    Os textos e fotos deste blog são reservados aos direitos de publicação dos fotógrafos e do autor, Sandro Malburg Bosco, e não devem ser copiados ou reproduzidos sem autorização.