A gota e o oceano.

 

Comentário de uma visitante desta blogosfera - Sandro, não consigo entender "amar sem apegar". Consigo me desprender de td q é material, casa, carro, emprego, enfim, mas não consigo me desapegar das pessoas q eu amo e saíram da minha vida por algum motivo. Parece q arrancaram um pedaço de mim junto. Como vc consegue isso? Entendo q pra cada um existe um caminho e q não tem fórmula pronta pra esses ensinamentos, mas... bj!
Luciana -
Post neste blog - Felicidade: existe um caminho?  24/08/2011  

 


 

Luciana de fato as questões relacionadas ao afeto e amor quando combinadas ao desapego tornam-se uma grande empreitada no entendimento de si mesmo. Em um relacionamento é muito mais fácil começar do que terminar. O 'encerramento' é algo que envolve desapego e auto-confiança. Quando buscamos nos relacionamentos (em geral inconscientemente)  completar algo que não temos vamos viver dois mayas ou seja teremos duas questões ilusórias: uma a de termos a partir desta convivência a qualidade ou habilidade do outro, e a segunda a partir da sensação do ‘Ter' sempre haverá o medo de ‘Perder’, não há outro jeito onde tem-se ‘ter’ tem-se o ‘perder’. Apesar de que tantos clamam pela dificuldade de obter e conquistar na vida coisas materiais ou pessoais sofre-se mais pelas perdas ou encerramentos do que pelo esforço do ganho e conquista. A dificuldade de entender e aceitar o fato de que as coisas e a vida neste plano físico são impermanentes é o grande buraco no caminho. Enquanto a pessoa confunde o impermanente com o permanente invertendo os valores: há sofrimento. A prática regular da meditação revela o mundo permanente que é o seu universo interior. Somos diferentes um do outro mas o caminho é um só. Tudo que você busca fora como satisfação, confiança, amor, paz, riqueza, você terá por pouco tempo; agora tudo que você busca fora você encontra dentro só que em quantidade e qualidade infinitamente maior e eternamente. No mundo exterior  você encontra a gota, dentro de você o oceano.

Medite!


Os textos e fotos deste blog são reservados aos direitos de publicação dos fotógrafos e do autor, Sandro Malburg Bosco, e não devem ser copiados ou reproduzidos sem autorização